Postagens

Mostrando postagens de 2012

O Memorial de volta

Imagem
Ilustração: Benício
O Memorial Soveral ficou fora do ar por alguns meses. Agora volta às atividades. Vamos relançar os livros em formato digital, agora em novo endereço: a conta da DMP. Tudo é realizado sem qualquer apoio oficial ou particular. Nosso objetivo é apenas preservar a memória do maior escritor pop que o Brasil já conheceu - e esqueceu: Helio do Soveral.

Chico Anysio queria produzir KO Durban para TV

Imagem
Em outubro de 2011 Ana Belly, a filha do grande escritor Helio do Soveral, me mandou um email dizendo que o Chico Anysio estava interessado em produzir alguma coisa da obra do pai dela. E me pediu uma ajuda nesse contato. Por email, eu me apresentei ao Chico como um especialista no obra do Soveral. E perguntei qual era sua idéia para que eu pudesse explicar à Belly. Sua resposta:
"O que eu quero são as histórias do detetive que morava no Tahiti. Vou adaptá-las para a TV".
Fiquei espantado. Aquele era um senhor de 80 anos de idade que entrava e saia de internações hospitalares, financeiramente resolvido, que poderia se aposentar de vez e descansar o resto de sua vida. E, no entanto, ele queria fazer um novo e complicado projeto para TV. Respondi que ele se referia a KO Durban, a criação mais famosa de Helio do Soveral. E esclareci que não era um "detetive do Tahiti", mas um espião do Havaí. E já me prontifiquei a ajuda-lo nesta tarefa, declarando-me sem falsa modéstia…

Uma vingança fora de controle: A Bomba

Imagem
Arte: Juvenal Ramos
Em junho de 1985 foi lançada a revista Ação Policial pela editora Morumbi, de São Paulo. A idéia era ousada: oferecer um canal para contos policiais brasileiros na linha da coletânea mensal americana Ellery Queen. Para o número de estréia Helio do Soveral compareceu com A Bomba, uma tragédia envolvendo um homem amargurado e sua filha. A história de uma vingança que escapa ao controle do autor. As ilustrações são de Juvenal Ramos. 


Esta restauração digital não seria possível sem a iniciativa de Rogério Silvério de Farias, que forneceu a reprodução das páginas da revista ao Memorial Soveral. 


A Bomba pode ser lida clicando neste link.



Teatro de Mistério - Retrato de um Fantasma

Imagem
Sinopse: Eugênio, um político recém mudado para Brasília é duplamente assassinado em seu palacete de Petrópolis. O suspeito mais evidente é seu sobrinho Emilio, que seria deserdado por roubar o tio. Os outros envolvidos são sua esposa Palmira, o secretário Fausto e o advogado Renato. 




Escrito por Helio do Soveral
Elenco: Carlos Leal (Renato), Neida Rodrigues (Palmira), Navarro de Andrade (Eugenio), Auricéia Araujo (Gertrudes), Paulo Pinheiro (Emilio), Cauê Filho (Minoro), Wilson Marques (Fausto), Milton Barros (Vitorino), Domicio Costa (Inspetor Santos)
Equipe Técnica:
Ensaiador: Cauê Filho
Controle de Som: Paulo Moura
Sonofonia: José Marques
Contra-regra: Geraldo Cruz
Assistente: Aldir Santana
Direção de rádio-teatro: Daisy Lucidi

KO Durban: o segundo volume de Traição no Vietnam está no Scribd

Imagem
Arte: Benício
Este é o segundo volume da coleção K O Durban - a obra-prima de Helio do Soveral. Seu espião free-lance continua lutando contra a maluquinha Senhora do Mundo. A ação se passa em 1966, em plena guerra do Vietnam. Mesmo lidando com a mais perigosa das mulheres, Durban ainda mantem um caso com a esposa de um dos generais americanos. 


Por ser a primeira aventura de K O (dividida em dois volumes), Traição no Vietnam é um livro um pouco mais contido. Quando percebeu que estava fazendo sucesso, Soveral foi se tornando cada vez mais ousado. E engraçado.


Para ler Traição no Vietnam 2, clique aqui.

O Memorial e @ Irmandade

Imagem
O Memorial Soveral foi indicado no Forum @ Irmandade, especializado em "escritores de literarura fantástica". Para ver a citação, clique aqui.

HQ: A Estátua de Caim

Imagem
Helio do Soveral era um colaborador regular da revista Spektro (da editora Vecchi). Escrevia roteiros para histórias em quadrinhos de terror. A Estátua de Caim é uma história tipicamente brasileira, envolvendo a obra do escultor barroco mineiro Aleijadinho. O tom é fortemente religioso. A arte é de Luis Saidenberg. Esta HQ foi está no Memorial Soveral graças a Rogério Silvério de Farias.
Você pode ler A Estátua de Caim clicando aqui.