O Corvo de Poe - a versão de Helio do Soveral


Helio de Soveral foi o maior dos escritores pop do Brasil. Mas ele tinha um "lado erudito". Soveral era apaixonado pela obra do escritor norte-americano Edgar Allan Poe. Tão fanático que batizou sua única filha com o nome de um poema de Poe chamado Annabel Lee


Soveral construiu por toda a sua vida a tradução da obra poética de Edgar Allan Poe. Foi um trabalho imenso, preciso e altamente criativo. Por uma triste ironia do destino, no dia em que Helio do Soveral conseguiu acertar a publicação de sua tradução de Poe, ficou tão feliz que resolveu ir a pé para casa - e foi atropelado e morto por um motoqueiro.


Aqui vai o início da tradução de Soveral para o mais famoso poema do mestre de Boston, The Raven:




O Corvo

Fui abrir uma vidraça - quando então, com pompa e graça
por mim passa um Corvo dos bons tempos memoriais.
Tal um lorde petulante, revoou, por um instante
E pousou, duro e arrogante, 
Dominou os meus umbrais
Sobre um busto de Minerva que domina os meus umbrais -
aquietou-se, e nada mais.

Ante a ave negra e tesa, 
disfarcei minha tristeza
E sorri para a nobreza de seus gestos teatrais.
"Sem coroa e tosquiado - eu disse -
és rei ou condenado?
Velho Corvo desgarrado das paisagens noturnais -
Teu senhor te pôs um nome, nas paragens infernais?"
Disse o corvo: "Nunca mais".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Teatro de Mistério, grande sucesso de Helio do Soveral na Rádio Nacional

Teatro de Mistério - O Crime do Inspetor

K.O. Durban: o super James Bond